quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

PF REALIZA A OPERAÇÃO GRAMMATA.

A Polícia Federal realiza nesta quarta-feira a Operação Grammata, que tem o objetivo de reprimir crimes contra o sistema financeiro nacional, falsidade documental, estelionato e lavagem de dinheiro. Policiais federais devem cumprir 33 mandados de busca e apreensão nos Estados do Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo e no Distrito Federal.

As investigações foram iniciadas em fevereiro de 2010 pelo Grupo de Repressão a Crimes Financeiros e Lavagem de Dinheiro da PF no Rio Grande do Sul, que apurou a possível prática dos crimes de evasão de divisas e lavagem de dinheiro praticados na fronteira do Estado com a Argentina. Com a evolução dos trabalhos, segundo a PF, foram detectados vínculos entre o alvo inicial e diversas células de atuação em outros Estados e a investigação foi desmembrada.

A atividade criminosa consistia em captar recursos de terceiros para serem empregados nas transações de compra e venda de títulos da dívida pública, principalmente em letras do tesouro nacional da década de 1970, em sua maioria falsificadas. Alguns desses títulos, segundo a PF, eram utilizados para servir de lastro financeiro em financiamentos internacionais e como ativos financeiros para inflar o patrimônio de empresas.
Os captadores prometiam reembolsos variáveis de 10 a 20 vezes o valor investido e, até o momento do resgate integral, antecipavam quantias, girando com os recursos. Em um das células criminosas, a PF identificou uma mulher que se fazia passar por uma ministra de Tribunal Superior para obter diversas vantagens econômicas.

A PF espera que, com o cumprimento dos mandados de busca e apreensão, seja possível identificar outros grupos criminosos envolvidos com as práticas criminosas. Estes grupos também poderão ser alvo das medidas que têm o objetivo de intensificar a repressão à fabricação ilegal, comercialização e negociação de títulos públicos federais falsificados ou prescritos.

Em Belo Horizonte (MG), a PF já cumpriu dois mandados de busca e apreensão nesta manhã, um em uma residência no bairro Santa Maria e o outro em um escritório no bairro Barro Preto. Foram apreendidos diversos títulos públicos, notas promissórias e outros documentos financeiros e contábeis. Todo o material será encaminhado à coordenação da operação, em Brasília.

A operação conta com a parceria da Receita Federal, através do Escritório de Pesquisa e Investigação da 10ª Região, e tiveram o apoio da Corregedoria Nacional de Justiça. O nome da ação se refere à ciência grega que estuda as letras e o alfabeto. Segundo a PF, o nome faz alusão às letras do tesouro nacional, principais títulos da dívida pública negociados pelos criminosos.
 
Fonte: Redação Terra


Nenhum comentário:

Postar um comentário