sexta-feira, 20 de maio de 2011

CEARÁ: POLICIAIS RODOVIÁRIOS FEDERAIS SÃO DENUNCIADOS POR CORRUPÇÃO E FORMAÇÃO DE QUADRILHA.

Envergonhando a farda ...e o gordo saláario 

 


Policiais rodoviários federais denunciados por corrupção.


 O Ministério Público Federal em Juazeiro Norte (CE) ingressou, na quinta-feira, 19, com ação penal contra cinco policiais rodoviários federais por corrupção passiva e formação de quadrilha. Durante vários anos, os PRFs, que atuavam nos postos policiais dos municípios de Milagres e Icó, ambos na BR-116, cobravam propina para liberar veículos e condutores supostamente irregulares, em sua maioria caminhões.

Os cinco policiais rodoviários federais denunciados pelo MPF são José Wellington Bandeira de Almeida, Webster Barbosa da Silva, César Luis Monteiro Gaspar, Nestor de Matos Sampaio e João Rufino Salles, além do zelador Afonso Dantas Belém. Todos os seis estão respondendo ao processo, mas o zelador deve ser apenas por extorsão.

O MPF constatou ainda que os policiais denunciados chegaram a adotar uma espécie de “pacote promocional” de corrupção, no qual acertavam com algumas empresas o pagamento de um valor fixo por mês para não mais fiscalizar seus veículos e, assim, cobrar propina por cada autuação.

Propina
Os policiais denunciados chegavam a pedir algo em torno de R$ 1 mil para liberar indevidamente cada veículo retido durante fiscalizações. No entanto, após negociações de valores entre os agentes públicos e os motoristas, efetuava-se pagamento que variava entre R$ 150,00 e R$ 500,00. No inquérito instaurado para investigar o caso, constam inúmeras provas das práticas de corrupção e formação de quadrilha. Entre essas provas estão comprovantes de depósitos bancários e e-mails com informações sobre pagamentos feitos aos agentes.

Os policiais rodoviários já estão afastados de suas funções e com bens bloqueados por força de ações movidas pelo MPF. Caso sejam condenados, além de perderem a função, os policiais podem cumprir pena de até vinte e quatro anos de prisão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário